Saúde

Cuidado! O mosquito ainda está por aí!

Por: Jocasta Briich.

Dengue, Chikungunya, Aedes aegypti e Febre Amarela 

– Lei Federal nº 13.301, de 27 de junho de 2016.Dispõe sobre a adoção de medidas de vigilância em saúde quando verificada situação de iminente perigo à saúde pública pela presença do mosquito transmissor do vírus da dengue, do vírus chikungunya e do vírus da zika ; e altera a Lei nº 6.437, de 20 de agosto de 1977.

Dengue, Zika e Chikungunya são as arboviroses mais comuns, são doenças causadas por vírus transmitidos, principalmente, por mosquitos. Os vírus causadores dessas doenças são transmitidos pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado.

Quais as diferenças entre as doenças? 

As três doenças são muito parecidas e podem ser confundidas, entretanto, existem diferenças no quadro clínico que podem ajudar na distinção.

Dengue: o primeiro sintoma da Dengue é a febre alta, entre 39° e 40°C. Tem início repentino e geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira no corpo. Pode haver perda de peso, náuseas e vômitos:

Chikungunya: também de início súbito de febre, que pode ser alta, porém menor que no caso de Dengue, dor muscular e nas articulações (estas são mais exuberantes que em Dengue e Zika), dor de cabeça e exantema (erupção na pele). Os sinais costumam durar de 3 a 10 dias.

Zika: tem como principal sintoma o exantema (erupção na pele) com coceira, febre baixa (ou ausência de febre), conjuntivite (olhos vermelhos sem secreção ou coceira), dor nas articulações, dor nos músculos e dor de cabeça. Normalmente os sintomas desaparecem após 3 a 7 dias.

A Dengue e Chikungunya têm sintomas e sinais parecidos, enquanto a Dengue se destaca pelas dores no corpo, a Chikungunya se destaca por dores e inchaço nas articulações. A Zika se destaca por uma febre mais baixa (ou ausência de febre), muitas manchas na pele a coceira no corpo.

O hemograma ajuda muito da diferenciação dos quadros. Uma vez que a queda nas plaquetas e a leucopemia são mais exuberantes na Dengue e quase inexistente na Zika.

Ações simples podem acabar com os focos do mosquito Aedes. Precisamos de todos nessa luta. Faça a sua parte! 

1 – Mantenha bem tampados: caixas, tonéis e barris de água.

2 – Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira sempre bem fechada.

3 – Não jogue lixo em terrenos baldios.

4 – Se for guardar garrafas de vidro ou plástico, mantenha-as sempre com a boca para baixo.

5 – Não deixe a água da chuva acumular sobre a laje e calhas entupidas.

6 – Encha os pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda.

7 – Se for guardar pneus velhos em casa, retire toda a água e mantenha-os em locais cobertos, protegidos da chuva.

8 – Limpe as calhas com freqüência, evitando que galhos e folhas possam impedir a passagem da água.

9 – Lave com freqüência, com água e sabão, os recipientes utilizados para guardar água, pelo menos uma vez por semana.

10 – Os vasos de plantas aquáticas devem ser lavados com água e sabão, toda semana. É importante trocar a água desses vasos com freqüência.

11- Piscinas e fontes decorativas devem ser sempre limpas e cloradas.

12- Sempre que possível evite o cultivo de plantas como bromélias ou outras que acumulem água em suas partes externas.

Combata o mosquito da Dengue, pois ele também transmite a Chikungunya e o Zika vírus.

Febre Amarela 

A doença

Febre amarela é uma doença viral causada por um arbovírus cujo reservatório são os primatas não humanos que habitam florestas e matas tropicais. A febre amarela é comumente transmitida pela picada do mosquito fêmea Aedes aegypti em áreas urbanas e pela do Haemagogus em áreas rurais. Basicamente o mosquito pica uma pessoa ou animal infectado e transmite a doença nas picadas posteriores.

Sintomas

A febre amarela pode ser assintomática em muitos casos, mas os sintomas mais comuns são dores de cabeça e no corpo, febre, perda de apetite, náuseas, olhos avermelhados, cansaço, fraqueza e fotofobia.

Tratamento

Não existe um tratamento específico contra o vírus, as remediações são focadas no combate aos sintomas. Nos casos mais simples é recomendado apenas que o paciente recorra a antitérmicos, repouse e aumente a ingestão de líquidos; nos casos de hospitalização em que tenham ocorrido comprometimento renal e perda de sangue, é necessário fazer diálise e contar com atendimento em uma Unidade de Terapia Intensiva.

Ao primeiro sinal dos sintomas, procure um médico ou o serviço de saúde mais próximo de você.

Prevenção

A vacina contra a febre amarela é a forma mais eficiente de prevenção. É necessário que 80% da população de um local sejam vacinados para não haver a disseminação, além da eliminação de focos de proliferação do mosquito transmissor.

Por: Jocasta Briich.

Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *