DestaqueGeral

Universitárias debocham de colega de 40 anos e atitude gera indignação (vídeo)

Estudantes de Bauru (SP) chegaram a dizer que mulher deveria ‘estar aposentada’. Universidade afirmou que medidas serão tomadas em relação às alunas envolvidas, que se dizem arrependidas.

Um vídeo que viralizou na internet mostra três estudantes de uma universidade particular de Bauru (SP) debochando de uma mulher que também estuda na instituição pelo fato de ela ter “40 anos”. A estudante, que na verdade está prestes a completar 45 anos este mês, está no primeiro ano de biomedicina.

Uma publicação feita na sexta-feira (10) no Twitter já soma mais de três milhões de visualizações. Na postagem, uma das universitárias aparece gravando um vídeo para uma rede social enquanto conversa com as outras duas.

 

No vídeo, ela ironiza: “Gente, quiz do dia: como ‘desmatricula’ um colega de sala?”. Logo depois, outra responde: “Mano, ela tem 40 anos já. Era para estar aposentada”. “Realmente”, concorda a terceira.

Em seguida, a estudante que grava o vídeo diz: “Gente, 40 anos não pode mais fazer faculdade. Eu tenho essa opinião”. Elas chegam a dizer que a mulher “não sabe o que é Google”.

De acordo com a assessoria da universidade Unisagrado, as três mulheres são maiores de idade e também alunas de biomedicina. Uma delas disse que as três estão arrependidas do que falaram e que o vídeo foi uma “brincadeira de mau gosto”.

Ela contou que as imagens foram postadas inicialmente no “close friends” do Instagram (recurso que permite que o usuário selecione seguidores específicos), mas acabou saindo da roda de amigos e viralizou.

“Nunca foi na intenção de dizer que pessoas de mais idade não podem adquirir uma graduação, pois não tenho esse pensamento. Foi uma fala imprudente e infeliz que tomou uma proporção que não imaginávamos”, disse uma das estudantes.

Sobrinha da vítima se manifestou

O vídeo das estudantes foi compartilhado por várias pessoas nas redes sociais, inclusive pela sobrinha da vítima. Em uma publicação na rede social, ela desabafou sobre o episódio.

“Minha tia, de 40 anos, sempre batalhou trabalhando sem parar desde pequena com as irmãs, para ajudar a minha avó e a cuidar dela”, escreveu.

“Ela sempre teve o sonho de estudar e nunca teve oportunidade. Hoje, ela conseguiu entrar em um curso que ela sempre quis e estava muito feliz e animada para começar as aulas, e daí surgem três meninas que só vivem na própria bolha, gravando vídeo zombando pela minha tia ser a mais velha da turma”, disse.

Na mesma publicação, a sobrinha pede por um posicionamento da universidade. “Que tipo de tratativa vocês vão dar para essas alunas de vocês? Que tipo de profissional essas meninas vão ser? Fico indignada”, questionou.

O que diz a universidade

A universidade publicou uma nota na rede social horas depois, mas sem fazer menção direta ao caso.

No comunicado, afirma que não compactua com qualquer tipo de discriminação e que acredita que “todos devem ter acesso à educação de qualidade, desde pequenos até quando cada um quiser, porque educação é isso: autonomia”.

A publicação também diz que “as oportunidades não são iguais para todo mundo em todos os momentos da vida. Sabemos, por exemplo, que os pais, muitas vezes, abrem mão da sua formação para oferecer as melhores oportunidades para seus filhos e, somente depois, optam por se profissionalizarem”.

Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *